LinkedIn
Bjorn Lomborg

Get the facts straight

22 Aug2017

Aprender com a malária

Published by Los Negócios

Num mundo onde não há falta de boas causas, fazer o melhor bem possível exige que nos concentremos nas melhores oportunidades primeiro. É uma das melhores histórias não contadas nos anais do desenvolvimento: foram feitos grandes avanços contra a malária, uma doença outrora endémica em todo o mundo e que, mais recentemente, continua a ser um flagelo nos países em desenvolvimento. Ao longo dos últimos 15 anos, foram salvos mais de seis milhões de vidas. Melhor ainda, as lições desse sucesso podem – e devem - ser aplicadas a outros grandes desafios do desenvolvimento. A malária é provocada por...

13 Jul2017

Paris não é a solução

Published by Negócios

Trump merece ser criticado por abandonar o acordo climático de Paris sem nenhum plano de acção alternativo. Mas, ignorando a realidade, o resto do mundo não está a fazer muito melhor. A decisão do presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do Acordo de Paris deixa o país sem uma política para o aquecimento global. Isso é alarmante. Mas a resposta do mundo – redobrar os esforços, em oposição a Trump – também deve causar preocupação.

9 Jul2017

Mudar a narrativa sobre o Haiti

Published by Negócios

Priorizar os problemas e, em seguida, concentrar-se nas soluções mais eficazes, é uma narrativa que beneficiaria todos os países. Determinar prioridades, no que respeita à despesa, é difícil em qualquer país. Mas é especialmente desafiador no Haiti, onde, depois de anos de divisões políticas, um governo recentemente eleito está a ter dificuldades em impulsionar a economia e melhorar o bem-estar da população, vendo-se confrontado com as consequências prolongadas do terramoto de 2010.

10 May2017

O baixo custo de acabar com a pobreza

Published by Negócios

A verdadeira tragédia é que a melhor solução para a pobreza não custa nada. O crescimento económico generalizado sempre foi o caminho mais eficaz para reduzir a privação. A pobreza é a mais cruel aflição da humanidade. Se uma pessoa é extremamente pobre, não tem recursos para evitar até as doenças facilmente curáveis que causam uma em cada seis mortes humanas. Os seus pulmões estão cheios de poluição do ar, porque, juntamente com outros 2,7 mil milhões de pessoas, cozinha e aquece-se com combustíveis como esterco e madeira – que tem o mesmo efeito que que fumar dois maços de tabaco todos os...

6 Feb2017

Aplicar a geoengenharia às mudanças climáticas

Published by Negócios

Mesmo os activistas do clima cada vez mais reconhecem que a retórica sobre o acordo mundial para reduzir as emissões dos gases de efeito de estufa, concluído em Paris há um ano, não vai ao encontro das actuais promessas que dizem respeito às temperaturas. Isto deveria levar-nos a pensar em soluções alternativas e inteligentes. Mas tal alternativa, a geoengenharia, é uma solução que muitas pessoas recusam. Geoengenharia significa manipular deliberadamente o clima na Terra. Parece algo saído da ficção científica. Mas faz todo o sentido pensar nisso enquanto política de segurança acessível e...

4 Jan2017

2016 foi o melhor ano de sempre?

Published by Negócios

De acordo com a sabedoria popular, 2016 foi um ano terrível. Ataques terroristas horrendos atingiram muitos países. A crise síria ceifou dezenas de milhares de vidas. A Turquia assistiu a atentados suicidas e a um golpe fracassado. Mais de 70 países experimentaram um declínio na liberdade. Os choques políticos incluíram a vitória do Brexit e a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos - ambas imprevistas pelos media e pela elite política. O Zika foi declarado uma emergência internacional de saúde pública. E o ano deve ter sido o mais quente de sempre. Ao ler as...

25 Nov2016

A simplicidade do senso comum no desenvolvimento sustentável

Published by Jornal de Negocios

Quando podemos transformar completamente a vida de alguém por apenas alguns cêntimos, devemos aceitar humildemente essa pequena vitória antes de prosseguir para grandes projectos com até muito maiores meios e sem garantia de sucesso. Onde falta dinheiro não deve faltar bom senso. A Agenda para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas para 2030 (Sustainable Development Goals, SDG, sigla em inglês) tem entre os seus objectivos o ensino pré-escolar para todas as crianças, empregos para todos os adultos, e o fim para a fome e a pobreza. São aspirações nobres – mas muito caras...

22 Nov2016

Como Alimentar o Mundo

Published by Project Syndicate

A fome tem assolado a humanidade desde tempos imemoriais. Quase todas as grandes sociedades foram moldadas pela fome. Uma estimativa sugere que quase todos os anos entre 108 a.C. e 1911 a China foi afectada por períodos de seca ou de fome causada por inundações em pelo menos uma província. No entanto, a luta contra a fome é uma batalha que a humanidade poderá finalmente vencer. No último quartel do século XX, a produção anual de cereais foi superior à de qualquer período anterior. Além disso, serão colhidos mais cereais este ano do que em qualquer outro período da História. Desde 1992, o...

23 Sep2016

Desenvolvimento sustentável fácil e óbvio

Published by O Notícias de Almeirim

Os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas incluem nas suas metas o ensino básico para todas as crianças, empregos para todos os adultos e a erradicação da fome e da pobreza. Estas aspirações são nobres, mas os custos envolvidos são muito elevados. Teremos verdadeirame

17 May2016

Porque precisa África de combustíveis fósseis

Published by Jornal de Negocios

Em termos energéticos, África é o continente mais "renovável" do mundo. No mundo rico, as energias renováveis representam menos de um décimo do fornecimento total de energia. Os 900 milhões de pessoas da África Sub-Saariana (excluindo a África do Sul) recebem 80% da sua energia a partir de fontes renováveis. Ao passo que uma pessoa na Europa ou na América do Norte usa 11.000 kWh por ano, em média (grande parte da qual através de processos industriais), uma pessoa na África Sub-Saariana usa apenas 137kWh – menos do que um típico frigorífico americano gasta em quatro meses. Mais...

Pages